segunda-feira, setembro 23, 2013
0
Ia a passar perto do WC do costume, sem ideia de lá ir, não tinha muito tempo, quando vejo o meu Padre António sentado ali perto. Ele olhou-me e eu fui imediatamente em direção à casa de banho, vendo que ele me seguia.

Quando entrei, vi que estava o Pedreiro Tarado num privado, mas segui para os urinóis, onde o padre se juntou a mim, tirando o caralho de 21cm e os enorme colhões para fora das calças.

Sem qualquer pudor, talvez por conhecer o outro que estava no WC, mostrar-me o pau já semi-duro e eu agarrei-o, no momento em que entrou outro gajo, mas ele não se preocupou.

Continuei com ele na mão, até que ele mete uma mão atrás da minha cabeça e me fez dobrar sobre ele e eu enchi a boca de verga, que saboreei como um louco, chupando, lambendo, mamando enquanto lhe acariciava os tomates. Depressa ficou duro.

"Isso... Engole esse caralhão todo!", dizia enquanto gemia e arfava à medida que me começou a foder a boca até que quando se estava quase a vir mo enfiou até à garganta enquanto eu o sentia a vibrar a cada esguicho de esporra que foram quase diretos ao meu estômago, de tão fundo que estava.

Quando terminou, guardou o pau, eu levantei-me, vendo que para além do que tinha chegado, também o Pedreiro Tarado ali estava, ambos a ver a cena deliciado, deu-me uma palmadinha na cara e piscou o olho com ar de tarado...

E eu só pensava: Quando será que me levas outras vez para a tua casa e me usas como fizeste há uns anos?

0 comentários:

Publicar um comentário