segunda-feira, junho 16, 2008
0
  

Estava cheio de fominha no cu e com vontade de levar com um bem fundo e por isso, assim que sai do armazém fui até ao parque, ver se, mais uma vez, arranjava alguém que me fodesse.

Não esperei muito, pois quando estava sentado perto da entrada das casas de banho chegou um maduro, baixo, mas bem apessoado, quer no corpo, quer na mala, qua apertava a olhar para mim. Segui-o e fui encontrá-lo nos urinóis com ele de fora já duro, uns 17cm grossos. Comecei a bater-lhe uma, enquanto ele me apalpava as nalgas, meti-o na boca, enquanto ele grunhia como um porco, aquele hrrrrrr que os machos acham que é de fodilhão, e com ele a enfiar-me os dedos no cu, fi-lo vir-se para a minha mão, saindo depois para lamber o que tinha nos dedos. Só nessa altura reparei que estava o chunga de 20cm de pau, embora mais passivo, num privado; assistiu a tudo...

Continuei por ali, queria mesmo ser enrabado e não foi em vão. Cinco minutos depois, chegou o paizão pedreiro, que me levou para um privado, abrindo a camisa e pondo o caralho à disposição. Aproveitei bem aquele peito peludo, rocei com ele em mim, passei com as mãos, até que ele me virou, inclinou-se para trás, fez-me montar e me enfiou-me tudo dentro da cona. Era mesmo o que eu queria... Ele bombava com força e eu gemia baixinho, olhava aquele corpo a dar estucadas, com as mãos cravadas na minha cintura, ou a abrir-me mais para ir mais fundo; vi-lhe o peito definido e peludo e a cara de macho fodilhão quando mo enterra... Senti leite a inundar-me, duas ou três estucadas mais fortes, acompanhada por pulsações possantes no caralho ainda dentro de mim... Sai mesmo assim...

Quando pensava que estava para acabar, vejo chegar outro pedreiro, cinquentão, bear bem peludo, cara de porco e um bom caralho, que sacudia no urinol. Reparei bem nele e apercebi-me que estava farto de o ver em cafés a beber minis e já o tinha galado.
Depois de algum tempo a tentar aliciá-lo, que tinha a certeza que queria porque não parava de apertar o caralho já escondido, perguntou com ar de porco e de poucos amigos: "Queres alguma coisa?" Respondi: "Quero mamá-lo!" "Então mama já caralho!", disse tirando o pau para fora, 17cm grossos e com uma cabeça enorme. Obedeci e senti-o a crescer, enquanto ele me usava o cu com os dedos. Uns 5 minutos depois, quando o tirei da boca, ele disse: "Encavava-te todo já!" "Então encava", disse-lhe eu baixando as calças para o receber na cona já esporrada. Ele mete-o um pouco logo ali, nos urinois, mas eu convidei-o para ir para um privado, onde continuou, com força, enquanto eu lhe apalpava o peito e o sentia a bombar, não demorando muito a esporrar-se, com estucadas mais fundas. Quando o tirou, senti o leite abundante de dois machos a escorrer-me pelas pernas...

0 comentários:

Publicar um comentário